O número de incidentes registados pelo Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) em março subiu 176% face ao mês homólogo de 2019, para 138, de acordo com o boletim do Observatório de Cibersegurança esta quinta-feira divulgado.

Segundo o boletim, assistiu-se a um aumento de 176% “se compararmos março de 2019 com março de 2020 no número de incidentes registados pelo CERT.PT [serviço do CNCS que coordena a resposta a incidentes], de 50 para 138”. De fevereiro, período pré-pandemia, para março registou-se um aumento de 84% do número de incidentes registados, de 75 para 138.

O Observatório de Cibersegurança destaca também um aumento de 217% entre fevereiro e março deste ano “no número de incidentes de phishing [ataque informático que visa ‘pescar’ dados sensíveis de um utilizador] registados pelo CERT.PT, de 18 para 57″.

Estas campanhas de phishing, refere o Observatório de Cibersegurança, “aproveitaram o confinamento para simular serviços digitais que têm um maior consumo e fidelização, como, por exemplo, serviços de homebanking, conteúdos digitais em streaming e lojas online“.

O boletim refere ainda que as denúncias recebidas pelo Gabinete de Cibercrime do Ministério Público aumentaram de 20 em fevereiro para 46 em março último.

Em abril, até dia 16, a tendência de crescimento tornou-se exponencial, com 76 queixas até essa data (um incidente para o CERT.PT configura uma campanha, independentemente do número de vítimas; cada denúncia no Ministério Público configura uma possível vítima)”, refere.

O Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) registou “um total de 295 incidentes” desde que foi decretado o estado de emergência, dos quais quase metade (46%) foram registados em março, disse esta quinta-feira à Lusa fonte oficial.