Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal tem 28.583 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica no país desta sexta-feira, dia 15. Houve um aumento de 264 casos, num acréscimo percentual de 0,9%, mais 0,2% do que na véspera. Duas notas desde logo a esse propósito: este foi o valor mais alto da semana, com uma diferença de 30 casos a mais em relação a terça-feira, mas, mantendo-se os registos médios ao fim de semana desde o início da pandemia (que tendencialmente são mais baixos do que nos dias de semana), esta deverá ser a primeira semana em que o aumento de novos casos nunca chega à fasquia de 1%.

Boletim DGS. Portugal com menos 125 internados em três dias (apesar do ligeiro aumento dos casos em UCI)

Já o número de mortes subiu de 1.184 para 1.190, apenas mais seis, o que baixou a taxa de letalidade em 4,16% (menos 0,2% do que na véspera) – mais significativo ainda, este foi o dia em que se registaram menos óbitos desde 22 de março (nesse dia, verificaram-se apenas dois mortos, numa fase em que o total era de 14). Outro dado: pela primeira vez desde que o Boletim apresenta as mortes divididas por grupo etário e género não se registou qualquer óbito entre homens. Por fim, o número de casos recuperados passou agora para 3.328, mais 130 do que na véspera (uma subida de 4,1%) – que representa um total de 779 desde terça-feira, a apenas 81 do valor registado ao longo de toda a última semana, que continua a ser aquela onde houve um maior aumento total (860).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.