A secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) afirma que cerca de 20% dos estabelecimentos já avisou que não terá condições para abrir segunda-feira, sendo o “grande constrangimento” a limitação da capacidade a 50%.

“O grande constrangimento e o ponto mais crítico tem que ver com a limitação da capacidade a 50%”, disse Ana Jacinto esta sexta-feira durante um “webinar” organizado pela AHRESP para apresentação de um guia de boas práticas para o setor, que contou com a presença do secretário de Estado do Comercio Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

Os empresários esperam pelo decreto regulamentar do Governo, para saber, em definitivo, as restrições que terão na abertura dos seus estabelecimentos.

“[A redução para 50%] é um ponto muito crítico que nós desejaríamos que assim não fosse porque efetivamente compromete a rentabilidade do espaço e compromete a abertura de muitos estabelecimentos que desejariam abrir e não vão ter condições”, disse a responsável, lembrando que “há muitos anos” que o setor convive com normas de higiene e segurança “muito apertadas”.

De acordo com o último inquérito feito aos seus associados, 20% das empresas avisou a AHRESP que não tinham condições para abrir com limitação de capacidade a 50%, o que Ana Jacinto considera “extremamente preocupante”.

Dos que vão abrir, continuou, apenas uma parte dos trabalhadores vai voltar, pelo que se mantém a necessidade do Governo apoiar a manutenção destes postos de trabalho e dos apoios ao setor, nomeadamente dando continuidade ao layoff simplificado.