A segunda metade do ano vai assistir ao lançamento da nova geração do Jazz, o utilitário da Honda que mantém um comprimento de 4,03 m, normal para este segmento, mas uma altura de 1,52 m, acima da média devido às suas formas próximas de um monovolume. O motor do pequeno modelo será híbrido, denominado e:HEV, com a marca japonesa a reivindicar inspiração no motor, também ele híbrido, que desenvolveu para os teams que equipa na F1.

Os motores de F1 são uns pequenos e muito sofisticados V6 com 1,6 litros de capacidade e soprado por um turbocompressor, capaz de elevar a potência para próximo dos 700 cv. Depois os motores eléctricos dividem-se entre as tarefas de recarregar a bateria e fornecer mais potência ao piloto, que assim em qualificação se aproxima do milhar de cavalos. E tudo isto com um consumo que ronda os 75 litros/100 km.

O motor e:HEV do Jazz é substancialmente mais interessante para o utilizador típico desta classe de veículos. Entre a unidade 1.5 a gasolina e o pequeno motor eléctrico, o condutor tem à disposição 109 cv, o que é suficiente para ir de 0-100 km/h em 9,4 segundos. Uma pequena bateria de iões de lítio, cuja capacidade não foi revelada mas que deverá rondar 1 kWh, alimenta o motor eléctrico, facilitando o trabalho da unidade a gasolina nos arranques e nas recuperações, o faz baixar o consumo para cerca de 4,5 litros/100 km,

A caixa do Jazz e:HEV é de variação contínua, que a marca denomina eCVT e o modelo oferece três modos de condução, o EV Drive, que usa exclusivamente o motor eléctrico, ainda que durante um percurso muito reduzido, o Hybrid Drive, o modo mais normal em que ambos os motores se juntam para perseguir o melhor consumo e potência, e o Engine Drive, em que é o motor a gasolina a realizar todo o trabalho, a solução ideal para quem deseja uma utilização mais dinâmica. Os preços apenas deverão ser conhecidos mais próximo da chegada ao mercado.