Expresso Veloce RS Black Edition – assim se chama a última criação da SuperVeloce, uma empresa sul-africana especializada em conceber máquinas de café como se fossem obras de arte, quer pelos materiais utilizados, quer pela irreverência do design. Neste caso, a inspiração provém do último motor refrigerado a ar da Porsche, que pode cativar os amantes da marca pelo nível de detalhe da peça, mas também pela exclusividade. É que só serão produzidas 993 unidades – ou não tivesse sido esta a série do 911 a contar com o seis cilindros Boxster 3.6 turbo de que o fabricante de Estugarda chegou a extrair 600 cv no radical GT2 EVO, 911 de que foram produzidas apenas 11 unidades projectadas para a competição, cujo fulgor em pista acabaria por ser eclipsado pelo McLaren F1 GTR, em 1995.

A máquina de café da SuperVeloce parece não ter tido a bênção do fabricante de Estugarda, pois não se encontra o logótipo da Porsche. Contudo, isso não impede a empresa de Joanesburgo de cobrar 10.200€ por cada unidade. Ou seja, um valor tão elevado que é possível encontrar no mercado de usados um Boxster quase pela mesma quantia

Com pormenores que remetem de imediato para o boxer de seis cilindros, como a ventoinha na parte de trás, a máquina de café mede 38 cm de comprimento, 42 cm de largura e 34 cm de altura, acusando sobre a balança nada menos que 21,5 kg. Não obstante, não fez dieta na incorporação dos mais resistentes materiais, incluindo alumínio, titânio, fibra de carbono e aço inoxidável – os mesmos materiais do motor original. Tudo para apelar aos apreciadores de café com um travo a saudosismo do Santo Graal dos puristas. Mas em cápsula…