O Explorer não é uma novidade para a Ford, mas é decididamente uma nova proposta para o nosso país, onde a Ford nunca comercializou um SUV de dimensões tão generosas e de preço tão elevado. O Explorer tem uma série de vantagens e todas têm a ver a com sua mecânica, uma solução híbrida plug-in (PHEV) que lhe assegura vantagens fiscais para empresas, mas igualmente uma maior economia para particulares.

A mais recente versão do Explorar é um SUV com 5,049 m de comprimento, 2,004 m de largura e 1,778 m de altura, com uma mais que generosa distância entre eixos (3,025 m), o que explica o espaço necessário para alojar três filas de assentos e sete adultos. É claro que com a bateria e o motor eléctrico extra, o peso dispara para 2.518 kg.

O novo SUV da Ford recorre como motor principal ao 3.0 V6 a gasolina sobrealimentado, que fornece 350 cv. Como PHEV que é, conta com a ajuda de um motor eléctrico com 100 cv, que lhe permite anunciar 450 cv e 825 Nm de força. Está equipado com uma caixa automática de 10 velocidades e uma bateria de 13,1 kWh, capacidade que lhe assegura uma autonomia em modo eléctrico de 42 km, desde que tenha a bateria recarregada no início do percurso, o que ainda assim fica um pouco abaixo da média do mercado.

Isto não impede o Explorer PHEV de anunciar 230 km/h de velocidade máxima e ir de 0 a 100 km/h em apenas 6,03 segundos. Mas a característica mais interessante para os particulares que adquiram este modelo é o seu consumo de 3,1 litros/100 km, o que corresponde a apenas 71g de CO2 por quilómetro.

A Ford vai propor o Explorer PHEV em Portugal por 84.210€, o que coloca o SUV num segmento agressivo onde as marcas de luxo tradicionalmente dominam. Mas as suas características enquanto PHEV podem favorecê-lo para empresas e frotas, onde este tipo de tecnologia usufrui de vantagens fiscais muito importantes a nível de IVA, IUC e contribuição autónoma. Além dos consumos, partindo do princípio que a bateria é recarregada sistematicamente.