A Federação Sindical da Administração Pública (FESAP) quer discutir matérias como o subsídio de risco, o teletrabalho e a ADSE na reunião com o secretário de Estado da tutela, marcada para 8 de junho.

“Passaram-se meses desde a última reunião, foram tomadas todas as medidas legislativas relacionadas com a pandemia sem que os sindicatos fossem ouvidos, quando a FESAP reivindicou esse direito, esperamos agora que a reunião agendada permita a discussão de matérias que são muito importantes para os trabalhadores“, disse à agência Lusa o secretário-geral da FESAP, José Abraão.

A última reunião entre as estruturas sindicais da administração pública e a tutela realizou-se em fevereiro, no âmbito da discussão do Orçamento do Estado.

Depois de várias tentativas infrutíferas ao longo do período de estado de emergência, a FESAP enviou na semana passada uma carta à ministra da tutela a reivindicar ainda a discussão das medidas de que “tomou conhecimento apenas pela comunicação social”.

Entretanto foi agendada a reunião com o secretário de Estado José Couto para 8 de junho, tendo na ordem de trabalhos a “análise global do período decorrido em situação de emergência de saúde pública, devido à pandemia do novo coronavírus”, e “análise dos pontos a desenvolver no âmbito do Programa Plurianual para a Administração Pública”, nos termos da Lei do Orçamento do Estado para 2020.

Mas José Abraão quer discutir matérias como a regulação do subsídio de risco para os trabalhadores da Administração Pública que têm estado a assegurar funções essenciais.

“Estes trabalhadores têm estado na primeira linha, a dar o seu melhor, na saúde, no abastecimento de água, no saneamento. Merecem o subsídio de risco, tal como está a acontecer noutros países”, disse o sindicalista.

Para o dirigente da FESAP o encontro com o Governo não pode servir apenas para fazer uma análise global do que se tem passado.

“Então e o teletrabalho, o confinamento, os precários que perderam o emprego, a ADSE, e as inspeções, nomeadamente das condições de trabalho?”, questionou.

A reunião de 8 de junho já se realiza nas novas instalações do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, na Rua Rosa Araújo, em Lisboa.