Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não há que ter receio em entrar em “Quatro Casamentos e um Funeral”, versão série, que se estreia esta terça-feira às 22h10 no canal AMC. São dez episódios elaborados por Mindy Kaling e Matt Warbuton que pegam na clássica comédia romântica de Richard Curtis e lhe dão um vestuário presente, menos britânico, mais universal, menos fechado nas personagens, mais aberto à exploração de todo o elenco: é como se “Quatro Casamentos e um Funeral” casasse com “Friends”.

Nathalie Emmanuel, a Missandei de “Guerra dos Tronos”, está habituada a isto, a grandes elencos onde um protagonista – ou falso protagonista – serve de maestro para esta orquestra. Começou a carreira assim, na série juvenil “Hollyoaks”, depois “Guerra dos Tronos”, “Maze Runner” e “Velocidade Furiosa”. Agora, em “Quatro Casamentos e um Funeral”, é a sua altura de liderar. A protagonista da série é Maya, uma mulher e não um homem, como no filme (Hugh Grant).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.