O ministro das Finanças do Quénia disse esta quarta-feira que o Banco Mundial vai apoiar o orçamento deste país em mil milhões de dólares, o maior apoio alguma vez dado a esta economia da África Oriental.

“O facto de o Banco Mundial não dar apoio financeiro a países com um enquadramento macroeconómico fraco é um testemunho dos níveis de confiança do banco nas nossas novas reformas políticas”, disse Ukur Yatani, numa declaração colocada no Twitter.

O empréstimo de mil milhões de dólares, cerca de 910 milhões de euros, surge depois de um empréstimo de emergência do Fundo Monetário Internacional, já este mês, de 739 milhões de dólares (674 milhões de euros).

O Quénia confirmou 963 infeções por Covid-19 e planeia gastar mais de 500 milhões de dólares (455 milhões de euros) num pacote de estímulo orçamental para apoiar os negócios afetados pela pandemia, uma iniciativa que o Tesouro diz que não vai afetar o défice das contas públicas, estimado em 7,3% do PIB.

Em África, há 2.912 mortos confirmados, com mais de 91 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 320 mil mortos e infetou quase 4,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.