Aníbal Cavaco Silva, ex-Presidente da República, tem um novo livro sobre a “experiência de social democracia moderna” que deveria ir para as bancas esta terça-feira, mas cujo lançamento só deverá ocorrer em outubro por causa da pandemia de Covid-19.

De acordo com o Expresso, que publica a notícia esta quarta-feira, o conteúdo está guardado a sete chaves embora uma fonte ligada à produção da obra a tenha descrito de forma muito simples: “O título é o livro”. Cavaco Silva deverá dissertar sobre a “social-democracia moderna”.

A publicação do livro esta terça-feira, 19 de maio, seria para assinalar os 35 anos da chegada de Cavaco Silva à presidência do Partido Social Democrata (PSD), prossegue o Expresso. Na impossibilidade de isso acontecer, o lançamento foi adiado para a altura em que o ex-Presidente da República assinala os 35 anos da primeira vitória nas legislativas, em 1985.

Como recorda o Expresso, a ascensão de Cavaco Silva no PSD começou depois de ter viajado para a Figueira da Foz para “fazer a rodagem” a um novo carro que havia comprado — pelo menos é essa a história que o ex-Presidente da República, à época ex-ministro das Finanças, sempre contou.

Na Figueira da Foz realizava-se o congresso do PSD. Cavaco Silva interveio e pediu silêncio à sala: “Quero pedir-vos um favor: que não me interrompam até ao fim da minha intervenção. Quero dizer-vos, com os olhos bem nos olhos, o que penso sobre uma questão que considero crucial: as eleições presidenciais”. Terá sido assim que, conta o Expresso, Cavaco conquistou a cúpula do PSD.