O Grupo Renault acaba de informar que vai dotar a fábrica da Renault Flins, em França, com uma linha para produzir até 1,5 milhões de máscaras cirúrgicas por semana. O objectivo dos franceses é suprir as suas próprias necessidades e zelar pela protecção da saúde dos seus trabalhadores directos, bem como da rede comercial na Europa.

Em comunicado, o conglomerado francês realça que esta medida lhe concede independência na Covid-19, na medida em que assim “fica a salvo de riscos de fornecimento, atrasos e inflação de preços”.

A linha de montagem será instalada num edifício de 1000 m2 na fábrica de Flins, com o Grupo Renault a sentir necessidade de sublinhar que “todas as máquinas e os materiais utilizados na fabricação serão de origem francesa ou europeia”. Ou seja, da China nada.

O arranque da produção tem início previsto para Julho, sendo que antes disso, já no próximo mês, cerca de 20 funcionários vão receber formação para integrar a nova linha. Depois de produzidas, as máscaras são expedidas para Saint André de l’Eure (Sofrastock), local a partir de onde serão distribuídas para os diferentes pontos da marca em França e na Europa.

Quanto à certificação do produto, obedece às normas em vigor, tendo esta decisão sido tomada após o parecer de médicos e do departamento de Higiene, Segurança e Ambiente do Grupo Renault.