A arrecadação de impostos federais no Brasil no mês passado totalizou 101,1 mil milhões de reais (16,4 mil milhões de euros), devido ao impacto da Covid-19, representando uma queda de 28,95% face ao mesmo período de 2019, descontada a inflação.

Os dados, divulgados esta quinta-feira pela Receita Federal brasileira, mostram que no período de janeiro a abril a arrecadação de tributos federais totalizou 502,2 mil milhões de reais (82 mil milhões de euros), dado que indicou uma queda de 7,45% face ao ano passado, já descontada a inflação.

“O resultado tanto do mês quanto do período acumulado foi bastante influenciado pelos diversos diferimentos decorrentes da pandemia de coronavírus”, lê-se num relatório sobre a arrecadação de impostos publicado pela Receita Federal.

O órgão também informou que o resultado de abril foi o pior para o mês desde 2006, quando a arrecadação federal somou 94,5 mil milhões de reais (15,4 mil milhões de euros), em valores corrigidos pela inflação.

A queda de arrecadação de impostos no país sul-americano foi causada pelo baixo nível de atividade económica devido ao fecho do comércio e de serviços não essenciais, e pelo efeito na economia de outras medidas de isolamento social determinadas por autoridades regionais para refrear o avanço do novo coronavírus.

O Brasil registou 291.579 casos e 18.859 óbitos provocados pela Covid-19, doença diagnosticada no país pela primeira vez em 26 de fevereiro, segundo dados mais atualizados do Ministério da Saúde do país.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 328 mil mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.