Um voo de repatriamento de cidadãos filipinos a residir em Timor-Leste, que deveria partir esta quinta-feira de Díli, ainda não partiu de Manila porque está a aguardar autorização de uso de espaço aéreo da Indonésia, segundo fontes da embaixada em Díli.

O voo, onde deveriam seguir esta quinta-feira cerca de 70 pessoas, estava inicialmente previsto para aterrar na capital timorense cerca das 13h (hora local), mas “continua a aguardar a autorização de espaço aéreo” da vizinha Indonésia, disse fonte da embaixada à Lusa.

A Embaixada das Filipinas em Timor-Leste explica, na sua página no Facebook, que o voo charter, um A320 charter da Pan Pacific Airlines. Organizado pela comunidade filipina a residir em Timor-Leste com apoio da missão diplomática, o voo ocorre numa altura em que o país está sem casos ativos de Covid-19.

Na semana passada cerca de 150 indonésios que trabalham em Timor-Leste partiram de Díli num voo organizado entre si para regressarem ao seu país devido, essencialmente, ao impacto económico causado pela Covid-19.

Nos últimos meses vários países organizaram voos de repatriamento ou apoiaram o regresso dos seus cidadãos de Timor-Leste, entre os quais Portugal, Austrália, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.