O grupo espanhol de infraestruturas de telecomunicação Cellnex notificou a Autoridade da Concorrência (AdC) da compra, à portuguesa NOS, do controlo exclusivo sobre a NOS Towering, revela um aviso da AdC publicado na sua página de internet.

A notificação foi recebida em 15 de maio, consistindo a operação de concentração na aquisição da totalidade do capital social da NOS Towering – Gestão de Torres de Telecomunicação, pela sociedade Cellnex Telecom, através da sua subsidiária BIH – Belmont Infrastructure Holding.

A BIH é uma sociedade controlada pela Cellnex que, através da OMTEL — Estruturas e Comunicações, se dedica à implantação, instalação e exploração de torres e outras infraestruturas para colocação de equipamentos de telecomunicações.

A NOS Towering, uma empresa controlada pela NOS Comunicações, dedica-se à instalação e exploração de torres e rooftops para colocação de equipamentos de telecomunicações.

À data de conclusão da transação, e após um processo de carveout, a carteira de ativos da NOS Towering será composta por um conjunto de perto de 2 mil macro-sites de telecomunicações”, lê-se no aviso publicado pela AdC.

A compra da empresa espanhola Cellnex à portuguesa NOS foi publicada em meados de abril pela Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) de Madrid, e de Lisboa, dando conta que a compra da NOS Towering incluía os seus cerca de 2.000 sites de telecomunicações, um portfólio de torres de telecomunicações localizadas em áreas urbanas (40%), suburbanas e rurais (60%) espalhadas por Portugal.

A transação, segundo essa comunicação à CMVM espanhola, implicou um pagamento inicial de 375 milhões de euros e prevê um “investimento de expansão” de 175 milhões de euros, relacionados com o alargamento do perímetro até 400 novos sites, incluindo um programa BTS, assim como outras iniciativas acordadas para os próximos seis anos.

Nos termos desse acordo divulgado, a Cellnex, que financiou a operação com capitais próprios, assinou com a NOS um contrato inicial de 15 anos, renovável por períodos adicionais sucessivos de 15 anos, que vai permitir à empresa portuguesa continuar a usar os sites que a Cellnex operar.

Em comunicado publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) nacional, a NOS defendeu que o acordo lhe vai permitir “continuar a otimizar e expandir” a sua rede móvel de última geração, reforçando simultaneamente a sua capacidade de investimento na criação do valor de longo prazo para a empresa.

Ao unir esforços com a Cellnex em Portugal, através desta parceria estratégica, a NOS garante as suas necessidades presentes e futuras em termos da sua infraestrutura móvel passiva”, sublinhava a empresa de telecomunicações portuguesa nesse comunicado.

A concretização da operação está agora sujeita às autorizações das autoridades reguladoras de concorrência dos dois países.