Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Estreou-se esta sexta-feira, na plataforma de streaming Disney+, a primeira curta de animação da Pixar com um protagonista abertamente gay — Greg, namorado de Manuel, com quem está a preparar-se para ir morar. Mas Greg ainda não conseguiu arranjar coragem para contar aos pais que é homossexual.

“Out” — assim se chama o filme, de nove minutos — foi realizado por Steven Clay Hunter, que também assinou “À Procura de Nemo” e “WALL-E”, e está a ser aclamado pelos fãs nas redes sociais, comovidos pela luta interior de Greg para assumir a homossexualidade perante os pais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

É a primeira vez que uma produção da Disney Pixar conta com um protagonista assumidamente homossexual — apesar de nos últimos anos terem sido várias as piscadelas de olho à comunidade LGBT.

Em “Toy Story 4”, de 2019, pode ver-se um casal de mães a deixar a filha na escola, e em “À Procura de Dory”, três anos antes, já tinha acontecido o mesmo, apesar de, na altura, Andrew Stanton, um dos realizadores, se ter recusado a comentar a “novidade”. “Podem ser o que quiserem que seja. Não há uma resposta certa nem uma errada”, respondeu, quando questionado sobre se o par de mulheres que aparece a dada altura a passear um carrinho de bebé constituiria ou não um casal.

Agora, que não existe margem para dúvidas, a comunidade LGBTQ — e não só — está exultante. “A nova curta da Pixar Spark, ‘Out’, já passou mais de cinco vezes cá em casa, e deu origem a uma ótima conversa com o meu filho de quatro anos, que acabou com ele a dizer, ‘Todos podem gostar de todos e eu gosto disso’. Sossega, coração”, escreveu uma mãe no Twitter.

A Disney+ é a plataforma de streaming do gigante do entretenimento, que junta títulos com a própria assinatura e de outras marcas do grupo: Marvel, Lucasfilms ou Fox. Em Portugal deverá estar a funcionar em setembro.