Uma semana após a autarquia de Matosinhos ter transferido 59 utentes do Lar do Comércio, por considerar que este não apresentava “recursos humanos necessários para garantir aos utentes, positivos e negativos, cuidados básicos”, os idosos vão regressar à instituição esta quarta-feira.

Para o Centro de Neurointervenção da Cruz Vermelha, em Vila Nova de Gaia e para o Hospital das Forças Armadas do Porto foram transferidos 48 utentes dependentes, não infetados com a Covid-19. Já para o Centro de Apoio Comunitário de Matosinhos foram mobilizados 11 utentes com o novo coronavírus.

“Recorde-se que parte dos utentes do Lar do Comércio foram mobilizados de forma a permitir a sua descontaminação e a reorganização das áreas Covid-19 e não Covid-19 e dos respetivos circuitos”, sublinha o lar em comunicado.

Câmara de Matosinhos vai mobilizar 59 utentes do Lar do Comércio para outras instituições

O equipamento infantil do Lar do Comércio, composto por uma creche e um jardim de infância, reabre no dia 1 de junho. “O espaço, que durante alguns dias foi utilizado para alojar cerca de 75 residentes do lar que testaram negativo para a Covid-19, foi esta segunda-feira desinfetado pelos Bombeiros Voluntários de Leça do Balio”, avança a instituição.

Nas últimas semanas, o Lar do Comércio tem estado envolto em polémica, sendo acusado de má gestão em época de pandemia. “Não fui ao Lar do Comércio, mas pelos relatos que temos recebido podemos falar de negligência”, sublinhou Luísa Salgueiro, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, no passado dia 15 de maio.

Ministério Público abre inquérito à atuação do Lar do Comércio em Matosinhos, após autarca falar em negligência. Direção nega acusações

Após estas declarações, o Ministério Público abriu um inquérito à atuação da instituição, que corre “termos no Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto”. Contactada pelo Observador, a direção do lar negou todas as acusações de que é alvo. “Não houve qualquer negligência no Lar do Comércio. Houve crise. E houve quem lutasse, e muito, contra ela. Fizemos, fazemos muito mais do que nos competia.”

Os responsáveis pela instituição particular de solidariedade social falam em mentiras e numa história que ainda não foi contada. “Ainda não ganhámos tudo. Foram ditas e escritas muitas mentiras. A história da pandemia em O Lar do Comércio ainda não foi contada. Mas ainda não chegou o momento de fazer balanços.”

Até ao momento, já morreram no lar 23 pessoas devido ao novo coronavírus.