A Linha de Apoio ao Farmacêutico disponibiliza a partir desta segunda-feira aconselhamento psicológico por telefone, no âmbito da crise pandémica de Covid-19, segundo um comunicado esta segunda-feira divulgado pela Ordem dos Farmacêuticos.

A iniciativa é uma parceria entre a Ordem dos Farmacêuticos e a Ordem dos Psicólogos para assegurar um apoio especializado.

Com recurso a especialistas em psicologia clínica e da saúde, com formação específica para intervir em situações de crise, a Linha de Apoio ao Farmacêutico visa “proporcionar um aconselhamento psicológico breve a todos os farmacêuticos portugueses, podendo também referenciar ou encaminhar para outras respostas, sempre que necessário”,

Os psicólogos estão capacitados para ajudar a lidar com o impacto emocional gerado pela pandemia de Covid-19, através de estratégias de gestão do humor e da ansiedade e da integração dos eventos causadores de stress na vida normal dos farmacêuticos”, lê-se no documento.

O objetivo é “aumentar a segurança e o desempenho psicossocial dos farmacêuticos, tanto na dimensão pessoal, como na esfera profissional, enquanto prestadores de cuidados ou gestores de equipas”.

A bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, citada no comunicado, defende que a nova valência vem dar resposta a “uma necessidade crescente” entre estes profissionais, resultante de uma sobrecarga de trabalho e emocional, desde o início da pandemia.

Pretende-se, desta forma, antecipar situações de “burnout” e ajudar os farmacêuticos a lidar com as consequências da pandemia, na atividade profissional, na vida pessoal e familiar. Através do número gratuito 800 219 219 será prestado atendimento confidencial e tiradas dúvidas que os profissionais de farmácia possam ter, durante sete dias por semana.

A linha está capacitada para prestar esclarecimentos em matérias do foro profissional, técnico e científico nas áreas assistenciais da profissão — Farmácia Comunitária, Farmácia Hospitalar e Análises Clínicas — e, a partir de agora, na área da Saúde Mental.

Desde o início de funcionamento, a 16 de março, atendeu mais de 7.000 chamadas de farmacêuticos, a maioria das quais relacionadas com a entrega de medicamentos hospitalares pelas farmácias comunitárias ou no domicílio dos utentes e outros serviços farmacêuticos.

Portugal contabiliza 1.316 mortos associados à Covid-19 em 30.623 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde. Portugal entrou no dia 3 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à Covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou novas medidas que entraram em vigor na segunda-feira, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

O regresso das cerimónias religiosas comunitárias está previsto para 30 de maio e a abertura da época balnear para 6 de junho.