Um voo de repatriamento de filipinos a residir em Timor-Leste, muitos deles sem trabalho devido ao impacto económico da Covid-19, parte esta segunda-feira de Díli, disseram fontes da Embaixada das Filipinas na capital timorense.

Numa nota à comunidade, a embaixada indicou que o voo para Manila deverá partir do Aeroporto Internacional Nicolau Lobato às 13h (5h em Lisboa), com cerca de 60 passageiros. O voo chegou a estar previsto na semana passada, mas foi adiado por falta de autorização de uso de espaço aéreo da vizinha Indonésia. Entre os passageiros contam-se ainda japoneses e sul-coreanos.

Um membro da comunidade filipina explicou que o voo foi organizado para apoiar filipinos que estão em Timor-Leste “sem trabalho e com dificuldades económicas”.

À chegada a Manila, os viajantes terão de cumprir uma quarentena de 14 dias. Se seguirem para outras zonas das Filipinas terão de cumprir mais um período idêntico de quarentena.

O voo “charter”, num aparelho A320 da Pan Pacific Airlines, foi organizado pela comunidade filipina, com apoio da missão diplomática, e ocorre quando Timor-Leste está sem casos da Covid-19.

Este mês cerca de 150 indonésios que trabalham em Timor-Leste partiram de Díli num voo organizado entre si para regressarem ao país devido, essencialmente, ao impacto económico causado pela Covid-19.

Nos últimos meses, vários países organizaram voos de repatriamento ou apoiaram o regresso dos cidadãos de Timor-Leste, como Portugal, Austrália, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.