A Grécia vai enviar, “por precaução”, até sexta-feira 400 polícias para a sua fronteira terrestre com a Turquia para evitar um possível afluxo de migrantes, disse esta quarta-feira a direção da polícia à agência de notícias AFP.

O objetivo é “reforçar as patrulhas policiais como precaução” ao longo do rio Evros, que marca a fronteira terrestre com a Turquia, explicou o porta-voz da administração policial grega, Thodoros Chronopoulos.

O ministro grego para a Proteção dos cidadãos, Michalis Chryssohoïdis, irá esta quarta-feira a Evros para conversar com a polícia e as autoridades locais.

Atenas teme uma nova pressão “migratória” de Ancara na Europa após o declínio da pandemia de Covid-19 e depois de a Turquia ter anunciado, em 29 de fevereiro, que não vai continuar a impedir os migrantes de entrarem na Europa.

Milhares de refugiados reuniram-se imediatamente no posto fronteiriço da Grécia em Kastanies (Pazrakule, no lado turco), que tem estado fechado desde então.

Na altura, Atenas pediu e obteve ajuda europeia para impedir que os refugiados cruzassem a fronteira, mas a repulsão ilegal de migrantes foi denunciada por várias organizações humanitárias.

Cerca de 100 polícias europeus enviados em março pela Agência Europeia de Proteção de Fronteiras, Frontex, permanecem no local desde então.

A pandemia do novo coronavírus forçou a Turquia a recuar na sua decisão, no final de março, e Ancara levou os refugiados reunidos na fronteira greco-turca para campos dentro do território turco.

No entanto, as tensões entre os dois membros vizinhos da Aliança Atlântica (NATO) foram retomadas recentemente.

No domingo, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Grécia, Nikos Dendias, negou a presença de soldados turcos numa pequena área grega ao longo do Evros, reportados pela imprensa, onde Atenas está a levantar um muro para impedir a passagem de migrantes para o seu território.

O ministro admitiu, no entanto, numa entrevista à televisão privada Skaï, a existência de “forças turcas num pequeno terreno ao longo do Evros, onde está em curso a preparação do muro pelo exército grego”. Atenas recusou dar a Ancara as coordenadas GPS para a extensão do muro, garantiu o ministro.

O Ministério da Defesa da Grécia também sublinhou, no sábado, que “o território grego nunca foi ocupado por forças estrangeiras”.