Durante o mês de maio, mesmo em horas de ponta, os comboios da linha de Sintra, Cascais e Azambuja mantiveram uma ocupação abaixo dos 2/3, avançou esta quinta-feira o Ministério das Infraestruturas em comunicado.

Numa altura em que o país se prepara para iniciar uma nova fase de desconfinamento, a 1 de junho, o ministério revela “durante este último mês” não existiu nenhum comboio da Área Metropolitana de Lisboa “que circulasse com lotação superior aos 2/3 determinados legalmente para este período da pandemia Covid-19”.

Nas últimas monitorizações feitas pelas CP em horas de ponta, a linha Sintra-Alverca registou uma lotação de 23%, Sintra-Rossio de 18%, Azambuja–Lisboa Santa Apolónia 16%, Azambuja-Alcântara 19% e Cascais-Cais do Sodré 13%.

Em 662 comboios realizados diariamente pela CP em Lisboa, apenas um comboio regista pontualmente uma ocupação máxima de cerca de 60%: a ligação Sintra-Lisboa Oriente, no horário das 6h36. Todos os restantes circulam com ocupação inferior a 30%”, pode ler-se no comunicado.

O Ministério das Infraestruturas avança ainda que, “ao contrário do que tem sido dito, não é possível aumentar o número de carruagens que circulam em cada comboio para aumentar a sua capacidade, uma vez que a dimensão das composições já se encontra no limite permitido” para assegurar a segurança ferroviária na linha de Sintra. Também na Linha de Cintura de Lisboa não existe capacidade da infraestrutura para integrar mais comboios na circulação.

A limpeza e desinfeção dos comboios tem sido feita diariamente, avançou o ministério, dizendo que, face à situação na linha da Azambuja, “a CP passou a realizar desinfeção adicional dos comboios” nesta linha. No período de 17 de março a 11 de maio, foram desinfetados 34613 veículos, numa média de mais de 500 por dia, pode ler-se no comunicado.