Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os tempos de espera para as cirurgias eletivas têm vindo a aumentar em Portugal desde 2011. A conclusão é de um estudo da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), divulgado esta quinta-feira.

O documento, intitulado “Tempos de Espera para os Serviços de Saúde: o Próximo na Lista” (tradução livre de “Waiting Times for Health Services: Next in Line”), dá conta de que, ainda antes da pandemia do novo coronavírus, havia países cujos tempos de espera para as cirurgias eletivas já tinham aumentado, como é o caso de Portugal.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.