Francisco Rodrigues dos Santos está no Porto desde esta quinta-feira e há um mês que não cortava o cabelo. Por indicação de um conhecido, escolheu a barbearia de Daniel Reis, em Vila Nova de Gaia, de portas abertas desde 2013. À primeira vista, o espaço parece ser a antítese da imagem do líder do CDS, com  uma caveira grafitada na parede, capas da revista “Playboy” emolduradas e uma camisola do Futebol Clube do Porto exposta fazem parte da decoração.

O barbeiro reabriu o negócio no dia 4 de maio e são visíveis as mudanças impostas pelos novos tempos de pandemia. As três cadeiras estão cobertas com película aderente, as luvas descartáveis passaram a estar sempre à mão e ninguém pode entrar sem máscara. Regras cumpridas por Francisco Rodrigues dos Santos quando chegou à pequena barbearia acompanhado pela sua comitiva e pela deputada Cecília Meireles que o esperava numa esplanada.

“Como está o movimento por aqui?”; Já recebeu o dinheiro do layoff ?”; “E o reembolso do IRS?”. Foram algumas perguntas que o líder do CDS tinha debaixo da língua para dirigir ao barbeiro “nascido e criado em Vila Nova de Gaia”, que viu a sua faturação cair 80% nas últimas semanas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.