Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Três jogos, um ponto. Desde que a Bundesliga recomeçou, o Eintracht Frankfurt ainda não ganhou, somou duas derrotas e um empate, sofreu 11 golos e marcou seis. Se fizermos as contas, na verdade — e mesmo com a devida ressalva da pandemia e dos dois meses de interrupção da competição –, o Eintracht não ganha desde o início de fevereiro, quando goleou o Augsburgo. Por isso mesmo, a equipa que está ainda na Liga Europa e que é presença assídua nas competições europeias está bem abaixo na tabela e vai realizar esta reta final do campeonato a lutar para não descer.

Talvez por isso, pela temporada difícil que está a realizar, o Eintracht tem sentido ainda mais a ausência dos adeptos e a falta de apoio vindo das bancadas. No início da semana, o treinador Adi Hütter confessou isso mesmo, num desabafo durante uma conferência de imprensa. “Os nossos adeptos estiveram sempre lá, quando precisávamos. Agora, que precisamos, não podemos contar com eles… É uma situação que afeta mais uns clubes do que outros. Nas equipas grandes não faz diferença, mas o resto precisa do apoio do público”, disse o austríaco. E a verdade é que, depois da confissão de Hütter, o Eintracht acabou mesmo por realizar o melhor jogo desde o recomeço, obrigando o Friburgo a um empate a três golos.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.