Quando o asfalto está quente, ou o condutor decide conduzir de forma mais agressiva nas travagens e em curva, os pneus são submetidos a um esforço excessivo. Isto faz disparar a temperatura da borracha, que rapidamente começa a perder a aderência e degradar-se em demasia. No extremo oposto, o clima frio e estradas cobertas de gelo interferem igualmente na aderência e no desempenho, pelo que é quase impossível encontrar o pneu ideal para todas as condições.

Se este objectivo é difícil de alcançar, a Pirelli reivindica para o novo Cinturato P7 a capacidade de se adaptar ao tipo de ritmo imposto pelo condutor ou pela temperatura do piso. A solução passa por uma mistura de borracha enriquecida com mais silicone, que interage de forma diferente com os polímetros usados no pneu. Isto permite-lhe funcionar melhor com temperaturas baixas na borracha, mas suportar com mais facilidade as temperaturas mais elevadas.

O Cinturato P7 é tradicionalmente um pneu para asfalto seco, ocasionalmente molhado, típico num equipamento concebido para circular durante o Verão. Além de fazer parte do equipamento de série de muitos veículos, o novo P7 visa também atrair os clientes em busca de um pneu mais performante. Para isso oferece larguras entre 205 e 275 mm, ombros entre 40 e 60 e com diâmetros de 16 a 19.