Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O encontro não estava na agenda, os convidados foram informados para entrarem pela porta lateral, mais discreta, do Palácio de Belém e a reunião ocorreu numa sala diferente àquela onde se costumam realizar as audiências. Marcelo Rebelo de Sousa teve esta terça-feira de manhã um encontro discreto com o grão-mestre da mais influente obediência maçónica portuguesa, o Grande Oriente Lusitano (GOL), numa reunião que durou uma hora e 20 minutos. Contactado pelo Observador, o grão-mestre da maçonaria, Fernando Lima, confirmou que a reunião ocorreu e descreve-a como “agradável” e comunicou ao Presidente da República as preocupações dos “irmãos” maçons com os “problemas sociais” decorrentes desta crise sanitária e económica.

Fonte de Belém também confirmou o encontro ao Observador, mas desvalorizou o facto de o mesmo ter decorrido de forma discreta e não ter sido tornado público, explicando que a mesma prática foi seguida por Marcelo Rebelo de Sousa em encontros com outras obediências maçónicas e com confissões religiosas. Além disso, explica a mesma fonte, a audiência do Presidente da República foi também aproveitada para fazer uma despedida institucional do grão-mestre, uma vez que Fernando Lima está em final de mandato e não será recandidato nas eleições do GOL (que estavam marcadas para 6 de junho e foram adiadas devido à pandemia).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.