O número de empregados na Alemanha caiu em abril para cerca de 44,8 milhões, menos 210.000 ou 0,5% em relação ao mesmo mês de 2019, segundo dados provisórios divulgados esta quarta-feira pela agência federal de estatística alemã (Destatis).

Assim, o número de empregados em termos homólogos caiu pela primeira vez em abril desde março de 2010, quando desceu em 92.000 ou 0,2%. Em março passado, a taxa de crescimento foi de 0,2% face ao mesmo mês de 2019.

As medidas adotadas a partir da segunda quinzena de março para conter a pandemia da Covid-19 tiveram um impacto significativo no mercado laboral.

Em relação ao mês anterior, a população ocupada diminuiu em abril em 161.000 pessoas ou em 0,4%.

Normalmente, a ocupação cresce em abril com a própria reativação da primavera: a média nos cinco anos anteriores foi de acréscimos de 143.000 empregados. No entanto, este ano, em vez de um aumento, houve uma contração grande.

Após eliminar os efeitos sazonais, o número de empregados em abril caiu em 271.000 pessoas – 0,6% – em relação a março.

Embora as medidas adotadas na segunda quinzena de março devido à pandemia da Covid-19 aumentem a incerteza quando se fazem estimativas de números de emprego, o crescente número de trabalhadores que estão precisamente naquela data na modalidade de horário reduzido, conhecido como a modalidade “Kurzarbeit”, não se reflete nos dados, porque estes continuam a ser incluídos como empregados.