Um sismo forte de magnitude 6,9 na escala de Richter foi registado esta quarta-feira entre as regiões de Arica e Parinacota e Atacama, no Chile, mas até ao momento não foram relatados vítimas ou danos.

Segundo a informação divulgada pelo Ministério do Interior chileno, o sismo foi registado pelas 3h36 locais (8h36 em Lisboa), a 50 quilómetros a sudoeste de San Pedro de Atacama, cidade que fica na Cordilheira dos Andes do nordeste do Chile.

O Ministério do Interior chileno, citando o Centro Sismológico Nacional, indica que as características do sismo “não reúnem as condições necessárias para gerar um tsunami nas costas do Chile”. Quanto à intensidade do sismo, foram registados diversos valores, consoante as comunas e regiões, tendo a máxima sido VI (escala de Mercalli), em três comunas da região de Antofagasta.

O sismo foi sentido nas regiões de Arica e Parinacota, Tarapacá, Antofagasta e Atacama. Na região de Arica e Parinacota as autoridades chilenas apontam para valores entre intensidade (Mercalli) entre II e III, na região de Tarapacá entre II e V (nas comunas de Alto Hospicio, Iquique, La Tirana, Pica e El Loa), em Antofagasta as intensidades variaram entre IV e VI e em Atacama entre II e V.

Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10).

A escala de Mercalli, que traduz a intensidade, varia entre o Impercetível (I) e Danos quase totais (XII).