O fabricante ferroviário e aeronáutico canadiano Bombardier anunciou esta sexta-feira uma redução de 2.500 postos de trabalho na divisão de aviação durante este ano, devido ao impacto da pandemia de Covid-19 na sua atividade.

“A Bombardier Aviation tomou a difícil decisão de reduzir o seu pessoal em aproximadamente 2.500 funcionários. A maioria das reduções afetará a produção no Canadá e será feita progressivamente ao longo do ano de 2020”, anunciou o grupo em comunicado.

A eliminação dos postos de trabalho representa cerca de 10% dos efetivos da Bombardier Aviation, que fabrica aviões executivos e que conta com 22 mil empregados, num total de 60 mil do grupo.

Para explicar a decisão, a Bombardier afirmou que se espera uma redução de 30% nas entregas de aviões em todo o setor durante 12 meses devido à pandemia.

“A Bombardier deve ajustar as suas atividades e a sua força de trabalho para garantir que vai sair da atual crise com bases sólidas”, acrescentou o grupo, com sede em Montreal.

No início de maio, o grupo Bombardier anunciou que registou um prejuízo de 200 milhões de dólares (cerca de 185 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano, quando tinha alcançado um lucro de 239 milhões de dólares (221 milhões de euros) no mesmo período de 2019.

Para este resultado a empresa destacou o contributo da aviação, que sofreu com atrasos nas entregas, como consequência da pandemia de Covid-19.