Ainda há praias cujo nível de ocupação indicada na aplicação InfoPraias até às 17h30 tinha sido atualizado pela última vez às sete da manhã. De acordo com a aplicação, as praias em questão estão com uma “ocupação baixa”, permitindo a entrada de utentes. No entanto, muitas delas só foram sondadas ao início da manhã. Já lá vão 10 horas.

Em Cascais, por exemplo, às 12h30 praias como a de Carcavelos, S. Pedro do Estoril e o Guincho estão assinaladas a verde, significando que terão uma ocupação de um terço no máximo e permitindo então a entrada de utentes. No entanto, a última atualização do estado nessa praia é das sete da manhã e pode já não corresponder à avaliação no presente.

Cerca de cinco horas mais tarde, às 17h15, a situação na praia de Carcavelos já tinham sido atualizada às 15h, assim como aconteceu com as outras duas praias. No entanto, a Praia do Abano continua com uma avaliação de ocupação feita pela última vez às sete da manhã.

No Algarve, praias como a de Vilamoura ou Quarteira (concelho de Loulé), a praia da Rocha Baixinha ou Belharucas (concelho de Albufeira) ou a Praia dos Três Irmãos ou a Prainha (concelho de Portimão) também surgem como tendo “ocupação baixa”, mas a avaliação é das sete da manhã.

Às 17h30, as praias de Vilamoura e Quarteira já tinham sido reavaliadas às 15h28, mas as praias da Rocha Baixinha e das Belharucas continuavam com a ocupação referente à avaliação das sete da manhã. O mesmo se verifica da Praia dos Três Irmãos e na Prainha.

De acordo com a mensagem que surge na aplicação, “a informação do estado de ocupação é meramente indicativa”: “Ao chegar à praia verifique a informação ali disponível”, aconselha a Agência Portuguesa do Ambiente, que desenvolveu a ferramenta.

App junta vigilância de 157 câmaras nas zonas balneares

Uma pesquisa pela aplicação revela que são usadas várias fontes para fazer a avaliação de cada praia. O nível de ocupação pode ser indicado pelos concessionários das praias, pela própria Agência Portuguesa do Ambiente, a Fundação Vodafone ou as câmaras municipais, por exemplo.

A aplicação terá 157 câmaras como auxiliares para obter a informação da lotação do areal. “As mais de 150 câmaras são essenciais para obter a informação e dar segurança a quem frequenta as nossas praias” afirmou o vice-presidente da APA, José Pimenta Machado, em Portimão.

Na apresentação da aplicação na cerimónia de abertura da época balnear na Praia da Rochas, em Portimão, Pimenta Machado destacou também o papel dos assistentes de praia “no fornecimento da informação para a aplicação”.