Na Europa, o segmento mais importante no que respeita aos SUV é aquele que inclui os veículos civilizados mas com aspecto de jipe e com cerca de 4,4 metros de comprimento. Os líderes são o Nissan Qashqai, o Volkswagen Tiguan e o Peugeot 3008, contra as quais o Jeep Compass pretende ser comparado. Esgrimindo a imagem da Jeep como vantagem, sendo uma das referências na produção de veículos todo-o-terreno, o Compass passa a estar mais interessante para o condutor europeu, e português em particular, pois passa a ser fabricado na Europa, em vez de importado a partir dos EUA, evitando assim as taxas inerentes ao facto de ser fabricado fora da União Europeia.

Além da mudança da produção para a fábrica italiana de Melfi, o Jeep compacto troca de motor, na versão a gasolina, abandonando o 1.4 MultiAir com 140 cv na versão mais acessível, trocando-o pelo novo 1.3 Turbo, que tem a possibilidade de fornecer 130 ou 150 cv. Mas as vantagens não ficam por aqui, pois o novo motor motor é igualmente mais económico, anunciando um consumo médio de 5,7 litros, substancialmente inferior aos 7,7 litros reivindicados pelo antigo motor 1.4 MultiAir com 140 cv, a que correspondiam 173g de CO2, um valor demasiado elevado para os dias que correm.

8 fotos

A velocidade máxima não sofre com a mudança da mecânica, uma vez que dos 195 km/h o valor caiu apenas para 192 km/h, da mesma forma que a aceleração manteve os mesmos níveis, com 9,8 segundos para ir de 0-100 km/h a baixar apenas para 9,9 segundos. Contudo, a verdadeira alteração deverá acontecerá a nível das emissões de CO2, que antes eram de 173g de CO2/km e que no novo motor deverão baixar para a fasquia das 150g (a confirmar depois da homologação europeia em WLTP).

Ao novo motor 1.3 Turbo, a Jeep alia agora uma nova caixa de velocidades, não a automática convencional anterior, mas uma nova de dupla embraiagem com embraiagem a seco, para ser mais rápida, ainda que menos suave. A produção em Itália, em vez de Toluca, no México, diminui os problemas relativos aos atrasos nas entregas do Compass, permitindo uma adaptação mais fácil às necessidades do mercado europeu e ao português, em particular.

No nosso país, o Jeep Compass está disponível com motor 1.3 Turbo, com 130 e 150 cv, com sistemas de transmissão 4×4 e 4×2, além de níveis de equipamento Sport, Longitude, Limited e S, com preços a partir de 27.750€. Este valor dá um novo fôlego ao SUV americano, cujo preço até aqui era de 33.208€, na versão 1.4 MultiAir 140 4×2 Longitude Plus e que agora se torna 6000€ mais barato. Por comparação, o Compass equipado com o motor 1.4 MultiAir de 140 cv, era até aqui proposto no nosso país por cerca de 34 mil euros, ou seja, 7000€ mais caro.

Paralelamente, o Compass passa a estar equipado com os mais recentes sistemas multimédia e de ajuda à condução da FCA.

Em breve, o Compass irá estar também disponível com este mesmo motor 1.3 Turbo a combustão, mas associado a um sistema híbrido plug-in que, com o apoio de um motor eléctrico de 60 cv, alimentado por bateria de 11 kWh de capacidade, é capaz de garantir uma potência total de 240 cv, o que lhe permite atingir 200 km/h, 0-100 km/h em somente 7 segundos, além de um consumo de 2,3 litros, a que correspondem emissões de CO2 de apenas 53g.