A GNR deteve um homem suspeito da prática de diversos furtos qualificados em residências de cidadãos estrangeiros, no Algarve, aproveitando a ausência dos proprietários nos países de origem, devido à pandemia de covid-19, foi anunciado este sábado

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Portimão do Comando Territorial da GNR em Faro deteve na quinta-feira “um homem, de 41 anos, pela prática de diversos furtos qualificados, em Silves” e noutras localidades algarvias, afirma aquela força numa nota enviada à agência Lusa.

O suspeito, adianta a GNR, “aproveitou o período de pandemia e a ausência de muitos cidadãos estrangeiros proprietários de imóveis, que neste período regressaram aos seus países de origem, para se introduzir nas suas moradias e subtrair o seu conteúdo”.

Na sequência das diligências policiais, foi possível reunir “as evidências que relacionam o suspeito com outros seis furtos em residência, ocorridos na segunda quinzena do mês de maio, entre Monchique, Vila do Bispo, Aljezur” e também no Alentejo, acrescenta a GNR.

No âmbito da investigação, que “dura há cerca de um mês”, além de ter identificado e detido o alegado do autor dos furtos, a GNR recuperou (e apreendeu) “mais de vinte ferramentas ligadas à área da construção civil, diversas garrafas de bebida, e vários aparelhos de GPS [sigla em inglês de global positioning system, sistema de navegação por satélite]”.

Foi ainda efetuada uma busca à residência do suspeito, onde foi apreendido diverso material, designadamente três caçadeiras e cerca de 300 cartuchos, três viaturas ligeiras, uma autocaravana, um motociclo e um atrelado, especifica a GNR.

O detido, com antecedentes criminais, foi presente ao Tribunal Judicial de Portimão.