Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Custou a arrancar mas não se perdeu pela demora. Jadon Sancho não é propriamente um avançado de raiz como Robert Lewandowski nem tem a capacidade de surgir de trás em zonas de finalização como Timo Werner mas era o terceiro melhor marcador da Bundesliga antes da paragem devido à pandemia, fazendo-se valer da velocidade e dos movimentos a explorar a profundidade para ser uma constante ameaça às defesas contrárias. No regresso, começou como suplente, fez uma assistência saído do banco no jogo com o Wolfsburgo, voltou a começar de fora na derrota do B. Dortmund com o Bayern mas abriu o livro na primeira vez que chegou à titularidade, fazendo um hat-trick na goleada do atual segundo classificado da prova frente ao Paderborn (6-1).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.