O ator norte-americano Michael B. Jordan apelou este fim-de-semana à indústria do cinema de Hollywood que contrate mais criadores negros e que diversifique mais as histórias contadas nos filmes.

Segundo a revista Variety, o ator falava no sábado durante uma manifestação em Los Angeles, nos Estados Unidos, contra a violência policial sobre os cidadãos afro-americanos, na sequência da morte de George Floyd às mãos da polícia norte-americana no final de maio.

Na manifestação, organizada por agências da indústria do cinema, o ator exigiu que os grandes estúdios de Hollywood comecem a refletir nos seus filmes a diversidade racial. “Quero que haja investimento em trabalhadores negros”, disse Michael B. Jordan.

Fotografias. Milhares de pessoas em protestos contra o racismo por todo o mundo

“Vocês comprometeram-se com uma paridade de género 50/50 em 2020. Onde está o desafio para se comprometerem com a contratação de trabalhadores negros? Conteúdo negro, liderado por executivos negros e consultores negros”, pediu o ator.

Michael B. Jordan questionou também os grandes estúdios de Hollywood sobre se os conteúdos das produções cinematográficas são “policiados” para garantir a diversidade.

“Não consigo respirar”. Morte de afroamericano pela polícia reacende protestos nos EUA

O protesto em Los Angeles foi um dos muitos que se repetiram este fim-de-semana por todo o mundo, incluindo em Portugal, para exigir o fim da violência policial contra os cidadãos negros.

As manifestações foram motivadas pela morte de George Floyd, um cidadão afro-americano de 46 anos que foi detido pela polícia de Minneapolis por ter, alegadamente, usado uma nota falsa para pagar num estabelecimento. Floyd foi imobilizado por quatro agentes da polícia e morreu quando um dos agentes tinha um joelho em cima do pescoço do homem.