Um carro entrou ilegalmente em Portugal na madrugada de sábado através da fronteira de Vila Verde da Raia (Chaves), de acordo com a edição digital do semanário Expresso, que cita um relatório interno das autoridades.

A fronteira terrestre entre Portugal e Espanha encontra-se encerrada desde o dia 16 de março devido à pandemia da Covid-19 e assim deverá continuar pelo menos até ao dia 15 de junho, estando em cima da mesa a possibilidade de alargamento desse período até ao final do mês.

Ao longo de toda a fronteira, existem apenas nove locais onde é possível cruzar a fronteira — estando apenas permitida a circulação de veículos de mercadorias, cidadãos que regressem ao seu país ou trabalhadores transfronteiriços, bem como veículos diplomáticos e de emergência.

Apenas 9 fronteiras abertas entre Portugal e Espanha. Tráfego aéreo e comboios suspensos

Viagens de lazer e turismo continuam proibidas e todas as viaturas que cruzem a fronteira são controladas pelas autoridades. O posto de fronteira de Vila Verde da Raia é um dos nove postos autorizados e é controlado pela GNR e pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

“Hoje (sábado), pelas pelas 03h10 em Vila Verde de Raia, uma viatura não obedeceu à ordem de paragem na fronteira tendo entrado sem autorização em território nacional”, diz um relatório interno das autoridades citado pelo Expresso.

“A referida viatura, de marca Mercedes Benz de alta cilindrada, de cor cinza claro e tejadilho preto, com 2 a 3 ocupantes, ao aproximar-se do local de controlo acendeu os máximos e acelerou bruscamente na minha direção, não obedecendo à ordem de paragem, obrigando-me a saltar para a outra faixa de rodagem”, continua o documento, que foi escrito por um dos agentes que controlavam a fronteira.

O mesmo jornal acrescenta que o carro não tinha matrícula traseira e que foi perseguido de imediato pela GNR, mas sem sucesso. Os ocupantes da viatura continuam em fuga.

Ainda de acordo com o Expresso, o incidente acontece três dias depois de as autoridades francesas terem informado as autoridades espanholas da fuga de três cidadãos perigosos, que seriam suspeitos de homicídio com armas de fogo e outros crimes. A polícia espanhola, por sua vez, comunicou essa informação às autoridades portuguesas — mas não se sabe ainda se há uma relação entre essa fuga e este incidente no norte de Portugal.