Uma ação de fogo posto provocou um incêndio, que afetou cerca de 20 hectares do polígono florestal da localidade de Matari-a-Njinga, na província angolana de Malanje, informou esta segunda-feira o serviço de bombeiros.

Segundo o comandante do Serviço de Proteção Civil e Bombeiros local, João Cassua, o incidente ocorreu quando um homem, de 57 anos, colocou fogo ao capim, que se estendeu ao resto da vegetação com a força vento. O suspeito, segurança que protege uma antena de uma empresa de telecomunicações montada naquele polígono florestal, já se encontra detido pela polícia, informou o porta-voz do Serviço de Investigação Criminal, Lindo Ngola.

João Cassua, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, frisou que foram necessários 27 efetivos e quatro viaturas dos bombeiros para a extinção do fogo, que durou quatro horas devido à especificidade da floresta.

O polígono florestal Matari-a-Njinga, que ocupa uma área de seis mil hectares, está localizado a cerca de 15 quilómetros da cidade de Malanje e já registou, em 2015, um incidente do género.

Depois da sua destruição no período de guerra, o polígono foi repovoado entre 2012 e 2017, altura em que foram replantados 137.600 eucaliptos, em 220 hectares de terra, num projeto do governo da província orçado em 4,4 milhões de dólares (3,8 milhões de euros).