A Ducato entra tarde, mas em grande, no mundo dos furgões eléctricos. Certamente com versões de carga e de passageiros, esta que é a marca líder desta classe de veículos em solo em europeu, aposta numa generosa capacidade de carga, completada com uma imponente autonomia, suportada por duas capacidade distintas, uma mais pequena (e mais barata) virada para clientes eminentemente urbanos, com um pack de acumuladores maior para clientes que visem circular em cidade, mas também em estrada.

Além de disponível com motorização diesel, que continuará a ser de longe a mais vendida, o furgão italiano na versão E-Ducato vai estar disponível com chassis de vários comprimentos e caixas de carga de diversas alturas, tudo para adaptar o veículo a diferentes tipos de carga. Daí que possa transportar até 17 m3 ou 1950 kg, que converte o modelo num dos mais generosos do segmento.

Com as baterias instaladas sob o chassi, o Fiat Ducato aloja os dois packs de baterias sem que nenhum deles belisque minimamente a capacidade de carga. A bateria mais pequena tem uma capacidade de 47 kWh, que a Fiat garante ser suficiente para percorrer 220 km, uma alternativa interessante para a last mile, as curtas distâncias dentro das grandes cidades, tradicionalmente entre o distribuidor e o cliente final.

Para quem quer ir mais longe, a Fiat Ducato pode instalar um pack de 79 kWh de capacidade, que assegura uma autonomia de 360 km. Contudo, este valor foi calculado segundo o método NEDC, o que o afasta mais dos valores reais. O motor que locomove o furgão anuncia 90 kW, cerca de 122 cv e 280 Nm de binário. A recarga é realizada através de uma tomada CCS Combo, com o preço e a data de chegada ao nosso país a serem anunciados mais tarde.