As exportações alemãs desceram em abril 31,1% em termos homólogos, a maior queda em 70 anos, e 24% face a março, segundo as estimativas divulgadas pelo gabinete de estatísticas alemão Destatis.

De acordo com o gabinete, trata-se da maior queda homóloga desde o início de 1950, segundo a série histórica e em termos mensais é também a maior desde o início da série em agosto de 1990.

Em março, as exportações tinham baixado 7,7% em termos homólogos e 11,7% face a fevereiro.

As vendas da Alemanha extra União Europeia contraíram-se em abril 27% para 37.500 milhões de euros.

As exportações para membros da zona euro caíram 36,7% em termos homólogos para 26.400 milhões de euros, enquanto nos restantes países da União Europeia caíram 29,9% para 11.800 milhões de euros.

As exportações para a China retrocederam 12,6% até aos 7.200 milhões de euros, enquanto nos países particularmente afetados pela pandemia covid-19, como França, Itália e EUA, contraíram-se 48,3%, 40,1% e 35,8%, respetivamente.

A Alemanha, por sua vez, importou em abril bens e serviços no montante de 72.200 milhões de euros, uma queda de 21,6% em termos homólogos e de 16,5% face a março.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 404 mil mortos e infetou mais de sete milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes.