As obras de conservação e restauro da igreja e claustro de São Gonçalo, em Amarante, conjunto classificado como monumento nacional, vão começar em setembro, com um investimento de 2,2 milhões de euros, informou esta terça-feira a paróquia.

O concurso público encontra-se na sua fase final, prevendo-se que a empreitada, desejada há décadas na cidade, devido à degradação do imóvel, se prolongue por 480 dias, contando com a comparticipação de fundos europeus.

A igreja e claustro de São Gonçalo apresentam condições de conservação dramáticas, sendo urgente esta intervenção de requalificação e valorização”, assinala ainda a entidade promotora.

A obra de caráter infraestrutural vai absorver a maior fatia do investimento. Serão executados trabalhos de reabilitação do edifício (coberturas, pisos, paredes e vãos) e do recheio artístico (retábulos, esculturas, pinturas murais, painéis e azulejares). Desde a construção do edificado, no século XVI, assinala esta terça-feira a paróquia, nunca se realizou uma intervenção global, havendo apenas registo de acrescentos e pequenas obras de reparação.

A candidatura que permite a realização dos trabalhos esta terça-feira anunciados foi liderada pela paróquia da cidade, com autorização da Direção-Geral do Tesouro e Finanças, entidade proprietária do edificado.

A Direção Regional de Cultura do Norte tem vindo a acompanhar a elaboração do projeto, que conta também com o envolvimento da câmara municipal e o apoio da Fundação Manuel António da Mota. Os promotores do projeto estimam que, após as obras, aquele monumento nacional possa ser visitado por cerca de 120 mil pessoas por ano, duplicando os números atuais.

A conservação e restauro da igreja e claustro do mosteiro de S. Gonçalo vai culminar o conjunto de trabalhos iniciado há alguns anos pela paróquia e que já permitiu intervir nas igrejas de S. Pedro e S. Domingos, também no centro da cidade.

Os três templos, conjuntamente com a igreja da Misericórdia, também já recuperada, constituem os elementos arquitetónicos mais relevantes em que assenta a atratividade de Amarante como um importante polo de turismo religioso no norte do país.

Os vários templos de interesse histórico-cultural espalhados pelo concelho, que também já beneficiaram de melhoramentos realizados pela Rota do Românico, consolidam aquela vocação, de acordo com a estratégia de turismo traçada pelo município.