O Conselho da União Europeia (UE) decidiu esta terça-feira readaptar o sistema de avaliação das emissões de dióxido de carbono (CO2) na aviação internacional, não considerando os níveis de 2020, dada a suspensão das viagens devido à pandemia de Covid-19.

Em comunicado, o Conselho da UE informa que “tomou hoje uma decisão que adapta a posição da UE sobre o período de referência a utilizar para medir o crescimento das emissões de CO2 na aviação internacional, a fim de ter em conta a queda sem precedentes do tráfego aéreo devido à crise do novo coronavírus”.

Em causa está o Sistema de Compensação e Redução das Emissões de Carbono para a Aviação Internacional (CORSIA), que visa estabilizar os níveis de CO2 produzido pelas transportadoras aéreas através de medidas de compensação para o setor.

Com esta decisão esta terça-feira adotada, a UE altera então o calendário do CORSIA, que previa uma análise à média das emissões de CO2 da aviação internacional durante 2019 e 2020.

De acordo com a posição da UE, o período de referência alterado para os valores de emissão utilizados no cálculo dos fatores de crescimento deve referir-se aos níveis de emissão de 2019″, adianta o Conselho da UE.

Acordado com a Organização da Aviação Civil Internacional em 2016, o sistema CORSIA tem o intuito de contribuir para cumprimento das metas do Acordo de Paris, incidindo sobre a questão das alterações climáticas no contexto da aviação internacional.

Ao abrigo deste programa, as companhias aéreas são incentivadas a adotar medidas como inovações tecnológicas nas aeronaves, melhorias operacionais e a utilização de combustíveis sustentáveis para a aviação, a fim de alcançar um crescimento neutro em termos de emissões de carbono a partir de 2020.