O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Dominic Raab, manifestou a abertura do seu Governo para apoiar Moçambique no combate aos grupos armados que têm protagonizado ataques em Cabo Delgado.

Dominic Raab manifestou a abertura do seu Governo para apoiar Moçambique durante uma conversa telefónica com o chefe de Estado de Moçambique, Filipe Nyusi, segundo um comunicado da Presidência moçambicana distribuído hoje à imprensa.

Cabo Delgado, província onde avança o maior investimento privado de África para exploração de gás natural, está sob ataque desde outubro de 2017 por insurgentes, classificados desde o início do ano pelas autoridades moçambicanas e internacionais como uma ameaça terrorista.

Em dois anos e meio de conflito, estima-se que já tenham morrido, no mínimo, 600 pessoas e que cerca de 200 mil já tenham sido afetadas, sendo obrigadas a refugiar-se em lugares mais seguros, perdendo casa, hortas e outros bens.

Segundo o comunicado da Presidência, além de declarar o seu Governo disponível para apoiar Moçambique, o chefe da diplomacia britânica manifestou ainda a “solidariedade do seu país face a este fenómeno”.

Além da violência armada em Cabo Delgado, Filipe Nyusi e Dominic Raab abordaram o acordo de paz entre o Governo e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), um processo que registou progressos nos últimos dias, com a entrega de armas de um total de 38 guerrilheiros do braço armado do principal partido de oposição no âmbito dos entendimentos assinados em agosto de 2019.

“Os dois dignitários comprometeram-se a prosseguir com a cooperação entre os seus países, nos domínios político, económico e social, quer ao nível bilateral, quer no contexto da Commonwealth”, conclui o documento.