O construtor alemão revelou as primeiras imagens dos primeiros iX3 a sair da linha da fábrica chinesa BBA Dadong, que a BMW detém em parceria com o construtor local Brilliance. Além de se destinarem ao mercado chinês, os SUV eléctricos vão igualmente rumar à Europa. Certamente, porque a marca alemã considerou que os ganhos pelos menores custos com a mão-de-obra compensam as taxas de importação e um eventual “torcer do nariz” de alguns consumidores a produtos feitos na China. Isto apesar do exemplo da Apple…

O director da fábrica BBA para os produtos da marca alemã, Robert Küssel, congratulou a sua equipa por ter “cumprido os prazos para o início da pré-produção, o que vai permitir arrancar com a produção a ritmo normal a partir do final do Verão”. Além da fabricação na China do iX3, na mesma linha de onde também sai o X3 com motor de combustão – dado ambos partilharem a mesma plataforma –, o BMW vai igualmente usar baterias de produção local, em vez daquelas que monta no i3.

Não tendo previsto comercializar o iX3 no mercado norte-americano, confirma-se que as versões chinesas e europeias recorrem a uma bateria com a capacidade máxima de 74 kWh, que na versão de apenas tracção atrás monta um motor eléctrico com 286 cv, o que lhe permite uma autonomia de 440 km em WLTP. A BMW não adiantou ainda se vai comercializar uma versão 4×4 do iX3, com um segundo motor no eixo dianteiro.

O BMW iX3 (4,708 m de comprimento, 74 kWh de bateria, 440 km de autonomia), o primeiro SUV eléctrico da marca bávara, vai concorrer directamente com o Mercedes EQC (4,761 m, 80 kWh, 416 km), Jaguar I-Pace (4,682 m, 90 kWh, 470 km) e Tesla Model Y (4,751 m, 75 kWh, 540 km).