Pelo menos sete agentes do Departamento de Polícia de Minneapolis já se demitiram desde o início da onda de protestos e do clima de tensão entre civis e forças de segurança gerado pela morte de George Floyd. Floyd morreu na sequência de uma intervenção de um polícia do departamento de Minneapolis, Derek Chauvin, que o pressionou com o joelho no pescoço quando este estava desarmado e o impediu de respirar durante oito minutos e 46 segundos, causando o óbito.

A notícia sobre a saída de agentes do Departamento de Polícia de Minneapolis foi dada pelo órgão de comunicação local Minneapolis Star Tribune, que indica ainda que outros sete polícias estão em processo de saída e que muitos tiveram de ser persuadidos a ficar.

Ao Minneapolis Star Tribune, fontes internas do departamento revelaram que os agentes sentem-se “incompreendidos” e que ter-se-ão queixado de falta de apoio das hierarquias locais da polícia e de responsáveis da cidade.

Ao todo, trabalham no Departamento da Polícia de Minneapolis 850 agentes, a que se deverão juntar no verão quase três dezenas de polícias que estão em processo formativo, refere o jornal digital norte-americano The Hill.