O Ateca tem sido uma ferramenta fundamental na estratégia da Seat, que se apoia no SUV para disputar o mais aguerrido dos segmentos do mercado europeu, onde enfrenta o Nissan Qashqai, VW Tiguan e Peugeot 3008, só para mencionar alguns. Daí que, depois de ter revelado o novo Leon, o construtor espanhol tenha considerado ser oportuno modernizar o SUV compacto. Mas não se limitou à estética.

À primeira vista, são evidentes os novos faróis full LED mais rasgados e a grelha com um design mais elaborado, com soluções similares a terem sido igualmente adoptadas na traseira, visando tornar o Ateca mais moderno e actual. Um facelift merecido, após ter superado as 300.000 unidades vendidas, ao fim de quatro anos no mercado.

3 fotos

Além de tornar o modelo mais apelativo, as poucas diferenças no exterior servem para chamar a atenção das muitas que existem a bordo. A primeira que salta à vista é a conectividade in-car, que permite acesso a serviços e a funcionalidades online, além do Full Link para aceder ao Android Auto e Apple CarPlay. O Seat Connect assegura a conectividade exterior, com a versão 9.2 do reconhecimento de voz a facilitar a interacção do com o sistema, bastando que o condutor diga “hola hola” antes de realizar o pedido ou a ordem, em linguagem normal.

Pensado para aumentar a segurança de quem vai a bordo, bem como dos outros veículos com quem partilha a via, o renovado Ateca passa a contar com soluções como o cruise control adaptativo e preditivo, que evita embates caso o condutor esteja distraído, conseguindo ainda evitar situações potencialmente perigosas ao ter conhecimento do que se aproxima, em termos de curvas ou cruzamentos. O Assistente de Emergência, o Assistente de Viagem e o Assistente Lateral e de Saída ajudam a evitar os acidentes mais frequentes, para depois o Assistente de Estacionamento Automático com reboque simplificar a tarefa de quem está ao volante. De salientar que o Ateca passa a usufruir de Assistente de Faixa de Rodagem com lane centering.

Concebido em Barcelona e produzido na fábrica de Kvasiny, na República Checa, o SUV passa também a montar as mais recentes versões dos motores do grupo, tanto a gasolina como a gasóleo, o mesmo acontecendo com as caixas de velocidade, sendo estas manuais ou automáticas com dupla embraiagem. O Ateca continua a disponibilizar transmissão integral, graças ao sistema 4Drive, com a versão de equipamento Xperience a surgir com uma decoração optimizada para incursões fora de estrada.

Em relação às motorizações, o 1.0 TSI de 110 cv e o 1.5 TSI de 150 cv são os trunfos, este último com a capacidade de desligar dois cilindros quando a circular com pouca pressão no acelerador, para reduzir o consumo e emissões. O motor 2.0 TSI, com 190 cv, assume-se como a proposta mais potente. A gasóleo surge o novo 2.0 TDI de 115 cv em substituição do antigo 1.6 TDI com a mesma potência, mas menos força. Este mesmo 2.0 TDI oferece uma versão mais potente, com 150 cv. Todos os motores a gasóleo passam a usufruir de uma dupla injecção de AdBlue e duplo catalisador SCR, para reduzir ainda mais os NOx.