Um petróglifo usado como “pedra-mapa” com cerca de 2 mil anos foi registado pelo Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México no Estado de Colima (oeste), informou a instituição.

Num comunicado, domingo, o INAH indicou que a pedra tem representações de um vulcão de Colima, de aldeias e de linhas de água e acidentes orográficos. Um petróglifo é uma arte rupestre, uma representação gráfica gravada em pedra, e já foram encontrados alguns com mais de 10 mil anos.

Segundo o comunicado agora divulgado há milhares de anos o vulcão de Fogo, de Colima, arremessou “uma pesada pedra basáltica” durante uma erupção que chegou a mais de 14 quilómetros para sul, até à atual região de Suchitlán, onde os habitantes pré-hispânicos a talharam meticulosamente até a converterem num mapa do seu território.

O petróglifo foi registado no passado dia 7 por especialistas do INAH. A hipótese de se tratar de uma “pedra-mapa” baseia-se na análise dos desenhos e padrões, bem como pela existência de outros elementos similares no estado de Colima, segundo o responsável do Instituto, Julio Ignacio Martinez de la Rosa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a fonte, só na zona arqueológica de La Campana, na cidade de Colima, foram encontrados mais de 100 petróglifos.

O arqueólogo Rafael Platas Ruiz, que inspecionou o achado, disse que na pedra se encontram pelo menos três técnicas de gravação.