O Programa Alimentar Mundial (PAM) iniciou no domingo um serviço semanal de voos humanitários entre Kuala Lumpur e Díli para passageiros e carga médica, no âmbito da resposta à Covid-19 em Timor-Leste.

O voo de estreia, que aterrou em Díli na tarde de domingo, trazia a bordo equipamentos médicos fornecidos pelo PAM e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), disse à Lusa fonte oficial da organização.

A bordo viajou ainda uma consultora da Organização Internacional das Migrações (OIM), tendo saído na viagem de regresso para a Malásia, seis funcionários da agência de cooperação japonesa JICA.

Em comunicado, a PAM indicou que os voos semanais vão servir para transportar “carga médica e humanitária crítica” e permitir ainda “a movimentação de funcionários humanitários envolvidos no apoio ao governo e à comunidade na resposta à Covid-19”.

Garantir o movimento de material humanitário e trabalhadores humanitários é essencial para o sucesso da luta contra a Covid-19 aqui em Timor-Leste e em todo o mundo”, considerou o responsável do PAM em Timor-Leste, Dageng Liu.

“Em cada voo, seguiremos rigorosamente os protocolos de saúde pública para impedir a possível transmissão do vírus”, adiantou.

Desde o final de janeiro, o PAM, em nome da OMS e da comunidade internacional, despachou cargas humanitárias e médicas para 121 países a partir de vários centros de logística globais e regionais, incluindo Kuala Lumpur e Cantão, no sul da China.

Na Ásia e no Pacífico, os voos fretados pelo PAM estão a apoiar a resposta à Covid-19 no Afeganistão, Bangladesh, Laos, Myanmar e Nepal, países onde os voos internacionais comerciais foram suspensos desde março devido à pandemia.

No caso de Timor-Leste, os voos “são possíveis graças ao apoio do governo de Timor-Leste e também do Gabinete do Coordenador Residente das Nações Unidas em Timor-Leste”.

Timor-Leste não tem atualmente casos ativos da Covid-19.