Alex Telles e Wilson Manafá não estavam. O expectável? Entrar Diogo Leite para o onze e Corona, de forma natural, recuar para a direita da defesa. O que é que Sérgio Conceição fez? Lançou Diogo Leite e Tomás Esteves e deixou Corona no meio-campo. E fez mais: colocou Danilo e Marega no banco de suplentes e deu a titularidade a Uribe e a Otávio, com o habitual capitão do FC Porto a não entrar sequer durante os 90 minutos. O resultado final? Um empate sem golos com o último classificado. Arrependimentos de Sérgio Conceição? Nenhuns.

Faltou a Zé ser Luis inteiro em vez de ser só Zé Luís (a crónica do Desp. Aves-FC Porto)

“Mexi porque achei que devia mexer, em função da equipa, do que me dizem durante a semana e das ausências. O Diogo Leite fez um excelente jogo, o Tomás [Esteves] só saiu porque fisicamente não aguentava mais. Estou contente com a prestação dos miúdos. Se voltasse atrás fazia exatamente o mesmo. Fizemos um grande jogo, só faltou meter a bola lá dentro”, disse o treinador do FC Porto no final da partida na Vila das Aves.

Os dragões empataram sem golos, podem ser alcançados pelo Benfica na liderança já esta quarta-feira em cenário de vitória dos encarnados em Vila do Conde e Sérgio Conceição confirmou o mau registo em casa do Desp. Aves: em três temporadas no FC Porto, o treinador nunca conseguiu ganhar na Vila das Aves, entre dois empates (2017/18 e 2019/20) e uma derrota (2018/19). Quanto aos dragões, confirmaram também o mau momento fora do Dragão, tendo vencido apenas um dos últimos quatro jogos, entre pré-pandemia e pós-pandemia (contra o Santa Clara, entre derrotas com o Bayer Leverkusen e o Famalicão e o empate desta terça-feira).

Na flash interview depois da partida, Sérgio Conceição declarou ainda que este foi um “jogo cruel” para o FC Porto. “Sempre controlado, a criar oportunidades atrás de oportunidades, inclusivé um penálti. Os jogadores deram tudo para conseguir uma merecida vitória. Faltou essa eficácia ofensiva”, explicou o treinador, acrescentando que só tem a certeza “de uma coisa”. “Amanhã [quarta-feira], aconteça o que acontecer, somos primeiros. São jogos difíceis, contra equipas que estão a lutar pelos seus objetivos. O Desp. Aves se joga com esta agressividade o Campeonato todo fica na Primeira Liga. Defrontam uma equipa forte e utilizam as suas armas. O pontinho vale contra nós. Daí a minha estratégia, não dando referências e metendo gente mais móvel. Resultou, pela forma fácil como chegámos à baliza. Faltou o golo”, concluiu Conceição, garantindo que não se preocupa “com os outros”, em referência à possibilidade de o FC Porto ser igualado pelo Benfica no primeiro lugar.