A produção na construção continuou em abril a sofrer fortes quebras homólogas de mais de 20% na zona euro e na União Europeia (UE), devido aos efeitos económicos da pandemia da Covid-19, segundo o Eurostat.

Em abril, as quebras homólogas na produção na construção aumentaram para os 28,4% na zona euro, depois de terem recuado 17,5% em março, e para os 24% na UE (-15,1% em março).

Já na variação em cadeia, o indicador registou um ligeiro abrandamento, para os -14,6% na zona euro (-15,7% em março) e -11,7% na UE (-13,6%).

Face a abril de 2019, as maiores quebras no indicador foram assinaladas em França (-60,6%), na Bélgica (-39,0%) e em Espanha (-32,6%), tendo havido três subidas: na Roménia 812,2%), na Alemanha (0,9%) e na Finlândia (0,8%).

Na comparação com março, a produção na construção diminuiu em todos os estados-membros, com particular relevância em França (-32,6%), Espanha (-26,3%) e na Eslováquia (-10,0%).

Em Portugal, o indicador diminuiu 13,2% na variação homóloga e 7,2% face a março.