Morreu Ian Holm, ator britânico conhecido por papéis como o do hobbit Bilbo Baggins, em “O Senhor dos Anéis”, e o do cyborg Ash, em “Alien”, anunciou o seu agente. Holm tinha 88 anos.

Sir Ian Holm morreu “pacificamente” num hospital em Londres durante a manhã desta sexta-feira de complicações relacionadas com a doença de Parkinson. Estava acompanhado pela família. “Encantador, bondoso e ferozmente talentoso, vamos sentir muito a sua falta”, afirmou Alex Irwin, descrevendo-o como “um génio do palco e do grande ecrã, vencedor de múltiplos prémios e amado de igual forma por realizadores, públicos e colegas”.

Irwin lembrou em comunicado a “extraordinariamente impressionante e variada carreira” de Ian Holm, que inclui participações em filmes como “Chariots of Fire” (pelo qual ganhou um Bafta e foi nomeado para um Óscar na categoria de melhor ator secundário), “O Quinto Elemento” ou “A Loucura do Rei Jorge”. “A sua interpretação de Bilbo Baggins na trilogia de ‘O Senhor dos Anéis’ assegurou que a magia da sua arte seria partilhada por todas as gerações.”

[Uma cena de “O Senhor dos Anéis: A Irmandade do Anel”, o primeiro filme da saga, com Ian Holm:]

Sir Ian Holm nasceu em 1931, em Essex. Apaixonado pelo teatro desde pequeno, fez parte de companhias de teatro como a Rada, em Londres, e a Shakespeare Memorial, em Stratford. Foi um dos membros fundadores da Royal Shakespeare Company, em 1960.

Holm abandonou o teatro em 1976, depois de “uma espécie de esgotamento” durante a apresentação de “The Iceman Cometh”, nesse mesmo ano, um incidente que descrevia como “uma cicatriz” na sua memória “que nunca há-de desaparecer”. Foi no entanto o súbito medo dos palcos que lhe permitiu dedicar-se por inteiro ao cinema, inicialmente no Reino Unido e, mais tarde, fora do seu país de origem, estabelecendo uma sólida carreira internacional que lhe permitiu um lugar em várias grandes produções.

O ator regressou uà Royal Shakespeare Company em 1997, para interpretar “King Lear” no National Theatre, em Londres, sob a direção de Richard Eyre. No ano seguinte, foi armado cavaleiro pela rainha Isabel II em 1998, por serviços prestados ao teatro.