O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros anunciou esta sexta-feira que Portugal já recebeu das autoridades moçambicanas a autorização necessária para realização de um voo humanitário com o apoio do Estado, de Lisboa para Maputo, ainda sem data definida.

“O nosso foco está hoje em Moçambique, porque ainda está em estado de emergência, manteve fechado o seu espaço aéreo, e como havia muitos portugueses e outros europeus que tinham de regressar a Portugal, seja por motivos de trabalho, seja por motivos de saúde ou outro”, lembrou Augusto Santos Silva.

“O que fizemos anteontem [quarta-feira] foi pedir formalmente autorização para um voo com o apoio do Estado, e a resposta de Moçambique foi imediata”, explicou o ministro, acrescentando que perante a resposta positiva esta sexta-feira de manhã já se estava “a organizar o voo”.

O governante falava à Lusa à margem da apresentação do plano de ação de resposta sanitária à Covid-19 nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste.

O ministro lembrou que este não é caso único no relacionamento entre Portugal e os países onde há comunidades portuguesas relevantes, como o Luxemburgo, Estados Unidos da América, Canadá, Reino Unido ou Venezuela.

“Mercê da colaboração inexcedível das autoridades locais, foi possível, respeitando os limites do tráfego aéreo, organizar voos específicos, de Estado, para todos os PALOP e muitas vezes esses voos, nos percursos até às capitais dos países, transportarem material e apoios para a frente humanitária do combate à pandemia de Covid-19”, concluiu Santos Silva.

O número de mortos por Covid-19 em África subiu para 7.395, mais 198 nas últimas 24 horas, em cerca de 275 mil casos, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados passou de 267.519 para 275.327, mais 7.808.

Já o número de recuperados é de 125.316, mais 2.655.

A África Austral é a que regista um maior número de casos, (87.897) – e 1.777 mortos -, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais casos em todo o continente (83.890) e onde há 1.737 vítimas mortais.

Moçambique conta 668 doentes infetados e quatro mortos e Angola tem 166 casos confirmados de Covid-19 e oito mortos.

O primeiro caso de Covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 454 mil mortos e infetou mais de 8,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.527 pessoas das 38.464 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.