O Brasil registou 1.022 mortes associadas ao novo coronavírus e 34.666 infeções nas últimas 24 horas, segundo informações divulgadas na noite de sábado (madrugada de domingo em Portugal) pelo Ministério da Saúde brasileiro.

Ao todo, o Brasil, que é o segundo país mais afetado pela doença da covid-19, a seguir aos Estados Unidos, registou até agora 49.976 mortes e 1.067.579 casos confirmados de infeção com o novo vírus. Segundo as autoridades, a letalidade da covid-19 no país é de 4,7%.

O Governo brasileiro informou também que 520.734 pessoas já recuperaram e outras 496.869 continuam a ser acompanhadas. São Paulo continua a ser o estado brasileiro que concentra o maior número de casos, num total de 215.793 pessoas diagnosticadas com o vírus e 12.494 vítimas mortais, seguido pelo Rio de Janeiro, que oficialmente contabiliza 95.537 infetados e 8.824 óbitos.

Os dois estados e as suas capitais, a cidade do Rio de Janeiro e a cidade de São Paulo, que têm os maiores centros urbanos do Brasil, colocaram em marcha há dez dias um plano de reabertura gradual da economia.

No caso de São Paulo, o Governo regional informou um aumento dos casos e mortes provocadas pelo novo coronavírus. O estado registou em três dias seguidos mais de 300 mortes e hoje foram confirmados 262 novos óbitos.

O avanço da doença, porém, não modificou os planos de reabertura das atividades económicas na capital e da maioria das cidades ‘paulistas’.

Já o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, recuou numa decisão anterior que permitia treinos e até a realização de jogos de futebol na cidade.

Crivella determinou hoje que todas as competições desportivas e treinos em locais fechados na cidade do Rio de Janeiro estão novamente suspensos. Assim, os jogos do campeonato ‘carioca’ de futebol, retomados na última quinta-feira, estão de novo parados até pelo 25 de junho.